24.01.2017
Inicia a coleta de assinaturas contra a instalação de mina
Todos os 28 municípios que integram a Bacia Hidrográfica do Rio Camaquã estão enfrentando uma grave ameaça: a instalação de uma mina, em Caçapava do Sul, pela Votorantim, em parceria com um grupo canadense. O projeto prevê a instalação da mina a 800 metros das margens do Rio Camaquã, para a extração de zinco, cobre, chumbo e ouro. Caso o projeto seja executado, vai provocar danos ambientais graves à região, pois todos os resíduos de extração do minério acabariam contaminando a água, ar e solo.
Em Encruzilhada do Sul, assim como em praticamente todos os municípios da região, foram criadas comissões integradas por pessoas de vários setores da sociedade para realizar ações contra o projeto da Votorantim.

Uma das ações da comissão encruzilhadense é coletar assinaturas contra a mina. Confira os pontos onde o abaixo-assinado está disponível:
Agropecuária Campestre (dois endereços)
Pranke Assessoria
Corsan
CEEE
Açougue do Floripo
Sindicato Rural
Cosel
Dreams – revenda Gang
Açougue do Zé
Casa de Carnes Minuano
Universal Supermercados
Joalheria Genz
Loja Obino
Magazine Real
Loja Pompéia
Loja Benoit
Loja Deltasul
Loja Quero Quero
Gabinete do vereador Márcio Rassier

Sua entidade ou empresa também pode ser um ponto de coleta de assinaturas. Para isso basta imprimir o cartaz na campanha na FL Publicidades (R$ 2,00 a unidade) e pegar uma cópia do abaixo-assinado no gabinete do vereador Márcio Rassier.
PALESTRA: outra atividade já programada pela comissão, é a realização de uma palestra, agendada para o dia 9 de março, às 13h30min no Clube do Comércio. Na ocasião estarão em Encruzilhada do Sul dois professores universitários, especializados na questão ambiental. Agende esta data e venha participar deste importante evento.

AUDIÊNCIA PÚBLICA: a comissão também está buscando junto ao Ministério Público, a realização de uma audiência pública em Encruzilhada do Sul sobre o projeto da Votorantim. Em caso de confirmação por parte do MP, toda a comunidade precisa participar para mostrar sua contrariedade a mina. A audiência pública deve ser realizada em data a ser confirmada, após a palestra de 9 de março.

RAZÕES PARA DIZER NÃO A MINERAÇÃO NO CAMAQUÃ
Assoreamento do Rio Camaquã, com a consequente eliminação das nascentes nos 388 hectares que serão ocupados pelo empreendimento.
Poluição das águas por METAIS PESADOS TÓXICOS.
Riscos à saúde humana e animal não só pelo contato direto com a água e o ar poluídos, mas também pela ingestão de alimentos contaminados (frutas, vegetais, leite, ovos, carnes, etc).
Redução da biodiversidade na área mais preservada do Pampa Gaúcho ( mais de 89% de cobertura vegetal original).
Impacto socioeconômico negativo, uma vez que a imagem dos produtores agropecuários da região mais habitada da zona rural da campanha será associada à mineração de METAIS PESADOS TÓXICOS, com a consequente desvalorização dos mesmos e perda de mercado.


Publicado por: Vanderlei Silva - Jornalista - Mtb. 13.349

Fonte: Rádio Encruzilhadense/ Comissão Encruzilhadense