13.04.2015
Câmara vota reajuste de servidores municipais
Divulgação
A prefeita Laíse de Souza Krusser enviou projeto de lei à Câmara de Vereadores, concedendo revisão geral anual aos servidores municipais, em 8,41%.

Na mensagem ela solicita ao Legislativo que o projeto seja apreciado de imediato, haja vista que o mesmo é retroativo a 1° de abril e a necessidade dos novos valores serem incluídos ainda na folha de pagamento do corrente mês.

Antes de enviar o projeto a prefeita recebeu, na manhã de segunda-feira em seu gabinete, o presidente do Sindisul, Pedro Lúcio da Silveira e os diretores Adriano Coelho e Claudionir Silveira Corrêa (Guinho).Também participaram da reunião o secretário de Administração, Pedro Florisbal Machado, a secretária da Fazenda, Rejane Aparecida Machado e o secretário geral de Governo, Alaur Soares.

Laíse recordou que vem buscando, desde que assumiu a Prefeitura, a recomposição salarial dos servidores cujos proventos foram defasados nas últimas administrações. Além disso a prefeita vem priorizando os servidores que possuem as remunerações menores, dando a estes maior reajuste.
Durante a reunião com os representantes do Sindisul, a chefe do Executivo se mostrou preocupada com os sucessivos cortes nos repasses que o município recebe tanto do governo federal como do estadual, o que dificulta as ações da Prefeitura, incluindo a política de reajuste dos funcionários. Na semana passada, por exemplo, a presidente Dilma Rousseff divulgou que os cortes no Orçamento de 2015 serão grandes e que os municípios devem se preparar para a redução de recursos do governo federal.

O presidente do Sindisul disse estar consciente das dificuldades da economia em todo o Brasil e seus reflexos nos municípios. “Noto a sinceridade na exposição feita pela prefeita e entendemos as dificuldades do município”, destacou, elogiando o diálogo franco e permanentemente aberto entre a Prefeitura e o Sindicato.

No projeto de lei enviado à Câmara de Vereadores foi utilizado o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) um dos principais indicadores brasileiro da variação mensal dos preços. Tal índice mede a variação do custo de vida das famílias com chefes assalariados e com rendimento mensal compreendido entre 1 e 5 salários mínimos mensais, o que representa aproximadamente 50% das famílias brasileiras. Foi excetuado do projeto o magistério e os agentes comunitários de saúde. O primeiro teve seus níveis majorado pelo Piso do Magistério em 13,01% e o segundo em atendimento a lei federal, passando de R$ 667,46 para R$ 1.014,00.


Publicado por: Vanderlei Silva - Jornalista - Mtb. 13.349


Fonte: Rádio Encruzilhadense/Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Encruzilhada do Sul