21.10.2014
Hospital de Encruzilhada passa a ser referência para traumato-ortopedia
Gabriela Rocha


O Hospital Santa Bárbara, de Encruzilhada do Sul, renovou nesta terça-feira, 21, seu contrato de prestação de serviços pelo SUS. A novidade é a habilitação da entidade para o atendimento especializado em traumato-ortopedia, oferecendo cirurgias, consultas, tratamentos de fisioterapia, entre outros. O termo firmado com a Secretaria Estadual da Saúde (SES) garante à entidade um repasse anual de R$ 6,3 milhões.

Do valor total do contrato assinado, R$ 3 milhões são recursos estaduais, destinados em forma de incentivos. Desses, cerca de R$ 1 milhão são em virtude da entidade ser porta de entrada para urgências e emergências, outros R$ 642 mil pelo Serviço Integrado na Atenção Especializada Ambulatorial em traumato-ortopedia e os demais por complementação de custeio. O restante do valor do contrato é oriundo do Ministério da Saúde, pagos de acordo com a produção.

Pelo contrato, na área ambulatorial, o Hospital Santa Bárbara ofertará, por ano, 31 mil atendimentos de urgência e emergência, mais de 400 partos, nascimentos e outras cirurgias obstétricas, 1,2 mil diagnósticos por tomografia, 3,9 mil mamografias bilaterais, entre outros.

Na área de traumato-ortopedia, serão 360 cirurgias do sistema osteomuscular, 60 videoartroscopias, 1 mil tratamentos médicos, 4,2 mil procedimentos de fisioterapia, entre outros. Nesta especialidade, o hospital será referência para quase 60 mil habitantes, abrangendo, além da população de Encruzilhada do Sul (25 mil pessoas), o município de Caçapava do Sul, com mais 35 mil moradores.

Além do novo contrato, o hospital também foi beneficiado com um convênio no valor de R$ 841 mil para a implantação do Pronto Atendimento (PA) 24 horas. O PA vai funcionar num prédio de 400 metros quadrados a ser construído junto ao Hospital. Do total do valor repassado, cerca de R$ 630 mil é para a obra e o restante destinado ao mobiliário e equipamentos. Estando no próprio Hospital, o PA vai facilitar o acesso dos pacientes a exames e até internação, quando necessário. A obra tem prazo de conclusão de seis meses.

O prédio onde atualmente funciona o Pronto Atendimento será transformado numa Policlínica, na qual serão disponibilizadas consultas com especialistas para a população. A Policlínica deve começar a funcionar no início do próximo ano, quando então vai diminuir drasticamente o número médio de 80 pacientes levados pela Secretaria Municipal de Saúde para consultas em outros municípios.


Publicado por: Vanderlei Silva - Jornalista - Mtb. 13.349

Fonte: Secretaria de Comunicação do RS - Central do Interior