Página Inicial
« Post anterior
Vem o Boi.............
18 de Fevereiro de 2015
Agora após os desfiles é a vez do boi, Bumba Meu Boi, a festa mais esperada pelos encruzilhadenses. A tradição é mantida a mais de 50 anos pela família Silveira, foram mais de 40 anos com o saudoso Tio Firminio, desde 2007 a responsabilidade é do neto Diogo Silveira Kucharski.


Confira matéria publicada no ClicRBS:


Encruzilhada do sul comemora nesta sábado a festa do bumba meu boi

Festa folclórica já foi tradicção em diversas cidades gaúchas, mas atualmente só resiste no município do Vale do Rio Pardo




Quem nunca ouviu falar do bumba meu boi? O que poucos sabem é que a folclórica festa da região nordeste do país também acontece em solo gaúcho. No Estado, a celebração que já foi comum em diversos municípios, como Porto Alegre e Santo Antônio da Patrulha, resiste apenas em Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo.

Conforme manda a tradição, a festa acontece amanhã, o primeiro sábado após o Carnaval, a partir das 21h, no centro da cidade.A expectativa é reunir cerca de 8 mil pessoas.

À frente da organização da “farra” (como chamam os moradores locais) há sete anos está Diogo Silveira Kucharski, 31 anos. O técnico em segurança do trabalho assumiu o posto após a morte do avô Firmino Silveira, responsável por resgatar a cultura e que ficou no comando da festa por mais de quatro décadas.

– É um orgulho muito grande ser responsável por manter essa tradição, que se tornou ainda mais especial por ser a única do Estado – conta Kucharski.

Logo ao anoitecer já começa a função: Kucharski e outros 12 amigos se reúnem na casa do avô, onde cada um assume um personagem. Feito com uma armação de varas de ferro coberta de tecidos e chifres originais adornados, o protagonista é o boi, que vai sendo conduzido por um homem (substituído de tempo em tempo) que o carrega sobre os ombros. Ele é acompanhado do tropeiro, que comanda a apresentação, do veterinário e dos campeiros, espécies de seguranças para manter a ordem.

Grupo movimenta a cidade com a brincadeira folclórica A brincadeira começa quando o grupo parte da antiga casa de Mestre Firmino em direção à praça central da cidade. No caminho, o animal deita-se na frente de casas e estabelecimentos comerciais como se estivesse morrendo. O suposto veterinário pede contribuições, que normalmente são bebidas, para salvar o bichano.Quando o pedido é atendido, o médico simula uma injeção e o boi então dá um pulo e corre na direção de todos,fazendo o povo rir.

– É muito divertido, porque é diferente dos desfiles de Carnaval, a nossa brincadeira tem interação com o público, todo mundo se envolve – destaca Kucharski.

Ao final, uma multidão se reúne na praça,chamada de Dr.Ozy Teixeira.No local, após a chegada do boi de pano, neste ano, haverá show com a banda Made in Brasil,de São Leopoldo.

Tradição realizada em Encruzilhada do Sul há mais de cem anos, a festa foi oficializada pela prefeitura em 1991 e faz parte do calendário municipal de eventos. Em 2012, o bumba meu boi foi pesquisado pela Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (FIGTF) e virou um documentário.





Diferenças do boi aqui e no Nordeste

Mesmo com a mesma origem, uma mistura de tradições africanas, indígenas e europeias, o bumba meu boi que começou no Nordeste possui diferenças para a festa no Estado. Por lá, a folia costuma ser junto das festas juninas.

Em Encruzilhada do Sul, ocorre no primeiro sábado após o Carnaval. No Nordeste, a farra é mais colorida, dançada e cantada. Aqui, já foi acompanhada de instrumentos,
como a gaita, mas atualmente é quase um enfrentamento. Crianças e adultos desafiam o boi, em uma barulhenta e alegre correria.
Autor: Vanderlei SilvaComentar | Comentários (0)
Enviar Comentário
Nome
Email
Mensagem